Seja Bem-Vindo!
Paróquia Senhor Bom Jesus

Praça Cônego Laurentino Álvarez, 79 - Vila Aparecida, Monte Aprazível, SP Tel: (17) 3275-1793

Artigos e reflexões › 27/04/2018

Quem encontrou um amigo, descobriu um tesouro

A amizade é um caminho de conhecimento e um compromisso de cuidado e crescimento mútuo. O amigo cuida, provê, divide, protege, quer ser corrigido e corrige, não se envergonha das atitudes dos amigos, chora com o fracasso dele e se alegra com seu sucesso.

O amigo deve ser procurado, cultivado e valorizado. Ele é como um tesouro, pois raramente acontece do nada. Você precisa estar atento para a possibilidade de conhecer um novo amigo. É importante abrir-se para fazer novos amigos, procurar novos amigos, aprender o que é importante em uma amizade.

Como agir com os amigos e o que esperar deles? Como já foi dito anteriormente, a amizade é um caminho de conhecimento. Portanto, temos de procurá-lo.

Às vezes, nos deparamos com um baú sujo, feio, quebrado, antiquado. Precisamos nos aproximar dele, correr o risco de fazê-lo, limpá-lo, arrumá-lo, apreciá-lo como uma antiguidade que é.

Quando conseguirmos abri-lo, poderemos encontrar ouro ou moedas antigas, assim como ossos, documentos, entre outros. E se for algo que eu desconheça o valor e não me proponha a pesquisar, estarei correndo o risco de desprezar o baú até mesmo antes de abri-lo.

Uma nova amizade

Quantas pessoas já passaram em sua vida que você nem se deu ao trabalho de parar, pensar e dar passos em direção a um novo relacionamento?

Se eu perceber que dentro do “baú” há “moedas correntes” ou “ouro”, que são valores já conhecidos, também vou precisar planejar a minha relação com o “novo tesouro”. O mesmo acontece com as pessoas que surgem em nossas vidas. A nossa vida vai mudar, precisamos nos abrir às mudanças, pois quando nos deparamos com o outro, precisamos verificar a melhor forma de conviver com as riquezas que ele tem para compartilhar conosco. A riqueza do ser diferente, do saber coisas que não sabemos, a atitude do outro que sabe pedir ajuda, que sabe estar atento à necessidade dos que estão com ele.

Pensando novamente na “moeda corrente”, é como quando alguém que ganha muito dinheiro e agora precisa mudar o seu padrão de vida, os seus hábitos, a liberdade de ir e vir, sem segurança ou sem dar satisfação, e tudo isso pode acabar, pois agora é rico (a). Da mesma forma, quando temos um amigo, muitas vezes, temos de redefinir nossos conceitos de liberdade, partilha, tempo, retribuição, investimento.

O medo do novo

Alguém que encontra um amigo e tem medo de ver o novo, esse é semelhante a um homem que encontra um baú com um tesouro dentro, e temendo as mudanças que surgirão por causa desse, abandona o baú e as riquezas.

Outros têm tanto medo de ser roubados, que não contam a ninguém do seu tesouro e ficam vivendo escondidos e com receio das pessoas. Qualquer um que se aproxima, ele já acha que é para aproveitar-se e pensa: “será que ele descobriu que agora sou rico?”.

Muitos chefes se sentem assim, com medo do contato, da intimidade e amizade; acreditam logo que, o “novo amigo”, vai pedir aumento ou promoção; mas é mais triste ainda pensar que esposos, pais, filhos, também perdem tantas oportunidades de terem grandes amigos ao seu lado.

Quando duas pessoas se encontram e começam a conviver, inicia-se um processo de transformação, o comportamento de um irá influenciar na vida do outro. O contato permite o questionamento do outro e, principalmente, o questionamento pessoal.

Como enxergar o outro

Só com o olhar “primeiro em nós mesmos” é que poderemos ver o outro de forma transparente. Quando somos amigos, incentivamos e valorizamos o contato de nossos amigos com outras pessoas, mesmo que essas não venham a ser nossas amigas.

Quando nos abrimos ao amor, corremos riscos. E o risco faz parte e vale a pena, pois cada um que passa ao nosso lado, sempre nos ensina direta ou indiretamente alguma coisa. Pense nisso! O que você tem investido na amizade? Como você se relaciona com seus amigos? O que aprendeu com eles?

O que já aprendeu com aqueles que o magoaram, feriram e se distanciaram de você? Ser amigo é um processo de constante aprendizagem e ter amigos é consequência desse processo.

“Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro. Nada é comparável a um amigo fiel, o ouro e a prata não merecem ser postos em paralelo com a sinceridade de sua fé.
Um amigo fiel é um remédio de vida e imortalidade; quem teme ao Senhor, achará esse amigo. Quem teme ao Senhor terá também uma excelente amizade, pois seu amigo lhe será semelhante” 
(Eclesiástico 6:14-17).

Cláudia May Philippi
Psicóloga graduação pelo Centro Universitário de Brasília

Fonte: Canção Nova

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Horários das Missas VEJA +

Matriz:Terça à Sexta: 19h Sábado: 18h30 Domingo: 09h30 e 19h

Enquete
Você frequenta a missa aos finais de semana?
Ver o resultado